Quarta-feira, 24 de Dezembro de 2014
publicado por JN em 24/12/14

24.12.14.jpegDesvio rápido a São Miguel, para burocracias. Marcamos um bife no Alcides, damos um salto à Solmar – e, quanto ao resto, cumprimos o plano e fazemos tempo. É bonita, Ponta Delgada, mas na verdade já temos cidades a mais. Voltamos com frequência a Lisboa e pelo menos duas vezes por semana descemos a Angra do Heroísmo.

Angra perdeu a relação com o mar e a sua economia é hoje muito frágil, mas em tudo o mais supera Ponta Delgada. Tem uma arquitectura mais bela, tem uma história mais rica e, sendo às vezes tão rural como urbana, é infinitamente mais cosmopolita.

As pessoas ainda só usam um telemóvel, ninguém chega atrasado a lado nenhum e as festas são uma alegria.

Ou talvez me assistam sobretudo razões sentimentais. As razões sentimentais são importantes no meu negócio.

De qualquer modo, a religião enforma tudo. Em São Miguel celebra-se o Santo Cristo, na Terceira o Espírito Santo. Em São Miguel Deus é trovão, na Terceira – que o diz é o Maduro-Dias, morro de inveja – vê televisão connosco. Todos os anos o deixamos sete semanas nas nossas salas de estar, sob a forma de coroa, ali pousado ao nosso lado. Não conheço nada mais subversivo do que isso.

Amanhã estaremos de volta. Apanharemos uma viagem terrível, como sempre no Inverno, e chegaremos mais vivos do que nunca. Durante alguns dias, riremos nervosamente dos ventos ciclónicos, dos poços de ar, da aterragem às cambalhotas. Para a semana já nos riremos apenas de nós próprios.

Seja como for, morrer na TAP, a caminho de Lisboa, teria bastante menos nobreza. Os Açores também são uma missão. Qualquer vítima destes aviõezinhos com que vamos desafiando a ordem natural das coisas teria de ser considerada uma baixa de guerra.

Diário de Notícias, Dezembro de 2014

comentar
| partilhar
Joel Neto


Joel Neto nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974, e vive entre a freguesia rural da Terra Chã, na ilha Terceira, e a cidade de Lisboa. Publicou, entre outros, “O Terceiro Servo” (romance, 2000), “O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas” (contos, 2002), “Banda Sonora Para Um Regresso a Casa” (crónicas, 2011) e “Os Sítios Sem Resposta” (romance, 2012). Está traduzido, editado e/ou representado em antologias em países como Inglaterra, Polónia, Brasil, Espanha e Itália. Jornalista de origem, trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, como repórter, editor, autor de conteúdos e apresentador. Hoje, dedica-se sobretudo à crónica, ao diário e à crítica, que desenvolve a par da escrita de ficção. (saber mais)
Moradas
no facebook
pesquisar neste blog
 
livros de ficção

Os Sítios Sem Resposta
ROMANCE
Porto Editora
2012
Saber mais
Comprar aqui


"O Citroën Que Escrevia
Novelas Mexicanas"

CONTOS
Editorial Presença
2002
Saber mais
Comprar aqui


"O Terceiro Servo"
ROMANCE
Editorial Presença
2002
Saber mais
Comprar aqui
outros livros

Bíblia do Golfe
DIVULGAÇÃO
Prime Books
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Banda Sonora Para
Um Regresso a Casa

CRÓNICAS
Porto Editora
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Crónica de Ouro
do Futebol Português"

OBRA COLECTIVA
Círculo de Leitores
2008
Saber mais
Comprar aqui


"Todos Nascemos Benfiquistas
(Mas Depois Alguns Crescem)"

CRÓNICAS
Esfera dos Livros
2007
Saber mais
Comprar aqui


"José Mourinho, O Vencedor"
BIOGRAFIA
Publicações Dom Quixote
2004
Saber mais
Comprar aqui


"Al-Jazeera, Meu Amor"
CRÓNICAS
Editorial Prefácio
2003
Saber mais
Comprar aqui
subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
tags
arquivos
links