Sexta-feira, 6 de Março de 2015
publicado por JN em 6/3/15

6.3.15.jpegOlho por esta janela e lembro-me do nosso clube de futebol. Chamava-se “FC Merdaleja” (porque gostávamos de Herman José), tinha um jornal que era o “Melmac” (porque gostávamos de Alf) e exibia-se num campo a que demos o nome de “Estádio de Alvaluz” (porque eu era do Sporting e os meus primos do Benfica).

Só jogava quem comprasse o jornal, a dez escudos a edição. Havia notícias do clube, do campeonato nacional e da fórmula 1. Fazíamo-lo numa máquina de escrever e quem o imprimia era o sr. Artur, numa fotocopiadora da Base. Às vezes tínhamos de esperar 15 dias, o que dificultava o acompanhamento da actualidade.

Para fazer o campo, destruímos um pomar inteiro. Pusemos salmoura junto às árvores, uma a uma, e esperámos. O meu avô ainda viveu uns anos, mas à condição. Não estou certo de que tenhamos escapado à delinquência por tanta margem quanto isso.

É por causa daquele campo de futebol que, hoje, eu não vejo um pomar desta janela.

Vinham amigos de freguesias vizinhas, para jogar connosco. Outras vezes andávamos nós por aí. Fazíamos corridas de bicicleta na Canada do Rolo. Jogávamos com os grandes no relvado da Universidade. Passávamos tardes inteiras a rematar contra um portão verde que havia aqui ao lado.

Quando passava um carro ou uma senhora, parávamos. Se fosse uma mota ou o Fernandinho, o jogo seguia.

O Jorge António dava biqueiras, mas nunca se partiu nenhum vidro.

Fomos felizes, e, quando eu hoje vejo as mães das freguesias irem buscar os garotos todos os dias à escola, amontoando-se nos passeios, torno a ter a certeza disso. Há demasiado trânsito. Tentações de droga. Pedofilia. Uma criança já nem pode partir os dentes em condições. Nem ir à Sociedade jogar matrecos. Nem esquecer-se de tomar a ritalina.

O mundo está todo pior. Não é só nas grandes cidades.

Diário de Notícias, Fevereiro 2015

comentar
| partilhar
3 comentários:
De Miguel Bettencourt a 6 de Março de 2015 às 13:14
Já nós jogávamos na rua onde eu vivia, entre a casa mortuária (no hospital) e os dois cemitérios existentes em Angra, apesar de não avistarmos nenhum deles, nem a mortuária, a partir de nenhuma das duas balizas marcadas por duas pedras cada. O trânsito era pouco naquela altura, é verdade, até lá em baixo no início da rua, no (antigo?) Largo de São Lázaro, que une São Bento à Guarita. Só interrompíamos o jogo quando passava ocasionalmente um carro ou um funeral - um e outro caso estavam aproximadamente em igualdade quantitativa. Quando era um funeral passavam mais carros, naturalmente. Baixávamos a cabeça em sinal de respeito e passado o último dos carros retomávamos o jogo como se nada fosse.
De JN a 6 de Março de 2015 às 13:22
É disso que somos feitos! :)
De andré a 25 de Julho de 2016 às 12:27
um gajo nos açores ser sportinguista é mesmo ser do contra... parabéns!

Comentar post

Joel Neto


Joel Neto nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974, e vive entre a freguesia rural da Terra Chã, na ilha Terceira, e a cidade de Lisboa. Publicou, entre outros, “O Terceiro Servo” (romance, 2000), “O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas” (contos, 2002), “Banda Sonora Para Um Regresso a Casa” (crónicas, 2011) e “Os Sítios Sem Resposta” (romance, 2012). Está traduzido, editado e/ou representado em antologias em países como Inglaterra, Polónia, Brasil, Espanha e Itália. Jornalista de origem, trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, como repórter, editor, autor de conteúdos e apresentador. Hoje, dedica-se sobretudo à crónica, ao diário e à crítica, que desenvolve a par da escrita de ficção. (saber mais)
Moradas
no facebook
pesquisar neste blog
 
livros de ficção

Os Sítios Sem Resposta
ROMANCE
Porto Editora
2012
Saber mais
Comprar aqui


"O Citroën Que Escrevia
Novelas Mexicanas"

CONTOS
Editorial Presença
2002
Saber mais
Comprar aqui


"O Terceiro Servo"
ROMANCE
Editorial Presença
2002
Saber mais
Comprar aqui
outros livros

Bíblia do Golfe
DIVULGAÇÃO
Prime Books
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Banda Sonora Para
Um Regresso a Casa

CRÓNICAS
Porto Editora
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Crónica de Ouro
do Futebol Português"

OBRA COLECTIVA
Círculo de Leitores
2008
Saber mais
Comprar aqui


"Todos Nascemos Benfiquistas
(Mas Depois Alguns Crescem)"

CRÓNICAS
Esfera dos Livros
2007
Saber mais
Comprar aqui


"José Mourinho, O Vencedor"
BIOGRAFIA
Publicações Dom Quixote
2004
Saber mais
Comprar aqui


"Al-Jazeera, Meu Amor"
CRÓNICAS
Editorial Prefácio
2003
Saber mais
Comprar aqui
subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
tags
arquivos
links