Sexta-feira, 26 de Dezembro de 2014
publicado por JN em 26/12/14

26.12.14.jpegLeio sobre o drama de Faustino Asprilla, oito anos depois de ter saído das primeiras páginas para regressar a casa, e não consigo ficar-lhe indiferente.

“Dei a vida ao futebol e agora tenho de fugir da minha terra”, diz.

Gostamos de pensar que os futebolistas são mais incultos do que nós. Este não é. Podia ter lamentado a marcha do mundo, o fim dos valores, o enigma do milénio. No momento de erguer a voz, aquilo que lamentou foi que esse caldeirão de desespero e ódio a que chamamos Século XXI possa forçar um homem a partir da sua terra.

Lá de longe, da distante Tuluá, com outro oceano por horizonte, a sua história fez-me sentir um homem de sorte.

Também há problemas na minha terra. Temos alcoolismo e violência doméstica, abuso sexual e gravidez precoce como mais nenhum lugar em Portugal. Lideramos os rankings nacionais de analfabetismo, insucesso escolar e abandono escolar, assim como os de desemprego, Rendimento Social de Inserção e pobreza persistente. Somos últimos no acesso aos cuidados primários de saúde, últimos nas listas de espera para cirurgia e últimos em participação eleitoral. Sempre que o assinalo, arranjo chatices.

Mas ninguém me impede de viver aqui. Asprilla, pelo contrário, é alvo de extorsão, chantagem e ameaças. Tem de partir com a família. Acabariam por matá-los a todos.

E eu, neste lugar tão distante, percebo-o melhor porque, no fim, a sua indignação foi essa: a necessidade de deixar a sua terra.

Ter uma terra é o diabo. É ter uma identidade e é ter uma memória. Ao pé de ter uma terra, tudo o mais me parece menor – o trabalho, a paternidade, a própria a arte.

Ter uma terra é o diabo e é redenção também. Sinto sempre pena de quem não tem uma terra.

comentar
| partilhar
Joel Neto


Joel Neto nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974, e vive entre a freguesia rural da Terra Chã, na ilha Terceira, e a cidade de Lisboa. Publicou, entre outros, “O Terceiro Servo” (romance, 2000), “O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas” (contos, 2002), “Banda Sonora Para Um Regresso a Casa” (crónicas, 2011) e “Os Sítios Sem Resposta” (romance, 2012). Está traduzido, editado e/ou representado em antologias em países como Inglaterra, Polónia, Brasil, Espanha e Itália. Jornalista de origem, trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, como repórter, editor, autor de conteúdos e apresentador. Hoje, dedica-se sobretudo à crónica, ao diário e à crítica, que desenvolve a par da escrita de ficção. (saber mais)
Moradas
no facebook
pesquisar neste blog
 
livros de ficção

Os Sítios Sem Resposta
ROMANCE
Porto Editora
2012
Saber mais
Comprar aqui


"O Citroën Que Escrevia
Novelas Mexicanas"

CONTOS
Editorial Presença
2002
Saber mais
Comprar aqui


"O Terceiro Servo"
ROMANCE
Editorial Presença
2002
Saber mais
Comprar aqui
outros livros

Bíblia do Golfe
DIVULGAÇÃO
Prime Books
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Banda Sonora Para
Um Regresso a Casa

CRÓNICAS
Porto Editora
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Crónica de Ouro
do Futebol Português"

OBRA COLECTIVA
Círculo de Leitores
2008
Saber mais
Comprar aqui


"Todos Nascemos Benfiquistas
(Mas Depois Alguns Crescem)"

CRÓNICAS
Esfera dos Livros
2007
Saber mais
Comprar aqui


"José Mourinho, O Vencedor"
BIOGRAFIA
Publicações Dom Quixote
2004
Saber mais
Comprar aqui


"Al-Jazeera, Meu Amor"
CRÓNICAS
Editorial Prefácio
2003
Saber mais
Comprar aqui
subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
tags
arquivos
links